terça-feira, outubro 28, 2008

Dos despojos da vida


A minha outra costela de costureira tinha de se revelar, mais tarde ou mais cedo.

Estava eu no meu atelier - até à semana passada, chamava-se escritório -, muito entretida a virar as alças dos meus novos sacos, quando algo do lado de lá da janela me chamou a atenção. Uma das vizinhas da frente dispunha, ao longo do passeio, objectos de que se queria desfazer: um computador, duas colunas, um monitor, uma mala cromada, um carrinho de arrumações sobre rodas, uma torradeira. Tudo em avançado estado de utilização. Finda a disposição, voltou para casa e fechou a porta.

Acto contínuo, passou uma ciclista de mochila às costas e cachecol a enforcar-lhe o pescoço (já mencionei que por aqui o frio já ataca em pleno?). Mãos nos travões, a rapariga saltou da bicicleta e dirigiu-se ao monte de lixo que a outra acabara de patentear.

Neste momento, fiz uma pausa no que estava a fazer (é assim que começam os atrasos nas empreitadas). Mas que raio é que poderia haver ali que interessasse à mulher? Os carros estacionados estavam com certeza a tapar-me a vista para algum tesouro.

Mas não! Ela estava mesmo interessada era na mala cromada. Levantou-a, abriu-a, espreitou lá para dentro, fechou-a e, depois de a amarrar com um elástico à bicicleta, lá foi à sua vida. E eu à minha.

Mas fiquei a pensar. É engraçado como o lixo de uns faz a felicidade de outros. E pensei mais além. E isto também acontece com as 'pessoas-lixo' de alguém.

Para o que havia de me dar!

5 Comments:

Blogger Cindy said...

É verdade!!
Coitado do amarelo se ninguém gostasse dele!

E por aqui o frio também já se faz sentir à séria!

Beijokas

outubro 28, 2008 4:35 da tarde  
Blogger Pitucha said...

Apetece-me dizer que na natureza nada se perde, nada se cria, tudo se transforma...é a reciclagem permanente!
Beijos

outubro 28, 2008 4:47 da tarde  
Blogger jg said...

Na minha função de promotor de produto e de (teu) consultor de imagem auto-empossado há cinco minutos, denuncio um lapso de comunicação atroz.
Como estás fartinha de saber (o Migas dará o seu aval) "Alsa" é a marca das gelatinas.
Dos sacos e das roupas, entre outras, é "alça"
Sugiro correcção imediata para evitar queda das acções do "Empório Carlota" antes da abertura das Bolsas.

outubro 28, 2008 8:16 da tarde  
Blogger Carlota said...

Toca a agasalhar, Cindy!

Bem, Pitucha, nesta matéria, acho que até a reciclagem tem limites!

Jasús, nem depois de ter ido ao dicionário escrevi a palavra bem! Já procedi à necessária correcção, JG, antes que denunciasses o contrato. Obrigada.
(Os consultores cobram ao conselho ou à hora?)

Xi-cos aos três.

outubro 28, 2008 10:46 da tarde  
Blogger jg said...

Curiosamente, tenho um cliente a quem cobro ao concelho e à hora.
É uma Câmara Municipal.
Touchê!!!
Colegas do ramo, trocamos favores.
Como te considero uma criativa, ficas abrangida pelo estatuto!!

Bjcs

outubro 28, 2008 11:29 da tarde  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home