quinta-feira, novembro 20, 2008

Modas antigas



Há um programa na RFM que se chama Há séculos que não ouvia isto!, no qual as pessoas pedem para ouvir uma música daquelas antigas, que já não ouviam há imensos anos. Isto, na RFM, que é a rádio que parou no tempo e que passa a vida a passar músicas antigas é, obviamente, um paradoxo. Eles dizem que o Paulo Fragoso vai desenterrar a música que nós não ouvíamos há séculos, mas eu tenho a certeza de que os discos em questão estão mesmo ali à mão de semear e nunca sequer acumularam pó (*).

Não tem nada a ver, mas hoje ocorreu-me esta expressão do há séculos quando estava a atestar o depósito de gasolina do carro. Há séculos que não atestava a 1,08 euros!


(*) Eu estou a par de que eles já não usam discos, mas toda a gente sabe que é muito difícil os ficheiros electrónicos ganharem pó.

6 Comments:

Blogger jg said...

Carlota,
O teu sentido de organização e arrumação até te permitem fazer o dois em um, a postar.
Em meia dúzia de linhas atiras-te ao vinil e ao gasoil.

Então hoje pegaste no tractor agrícola?!...

novembro 20, 2008 11:31 da manhã  
Blogger Carlota said...

Ná! Estou a falar de gasolina, mesmo. O gasóleo estava a 95 cêntimos!!!

novembro 20, 2008 11:54 da manhã  
Blogger Teófilo M. said...

Eu ainda tenho discos, daqueles pretos, com risquinhos estreitos, em espiral, que ganham pó e dão - de vez em quando - uns estalinhos secos quando estão a ser ouvidos.

Ah e o som!... nada que se compare a estas modernices, dos Cd's, DVD's, mp3's, e outros 'ês' digitalizados que teimam em não conseguir atingir o som do bom e velho 'vinyl'.

novembro 20, 2008 12:39 da tarde  
Blogger Claudette Guevara said...

Ehehhe! Ai a RFM... há séculos que não a ouço. (e ainda bem, senão sentia-me um bocado velha, por conhecer aquelas músicas todas)

Quanto ao outro assunto, não posso dizer há seculos que, porque tirei a carta apenas há dois anos...

novembro 20, 2008 3:51 da tarde  
Blogger Carlos Malmoro said...

Gasóleo a 0.95€...queria sugerir-te uma coisa: da próxima vez que vieres a Portugal, não há possibilidade de trazer um daqueles camiões cisterna e deixá.lo no meu jardim? Para quem conduz em média 150-200 kms/dia era um graaande favor que me fazias. E, para além disso, uma cisterna colocada entre a nogueira e a figueira, dava um ar de arte contemporânea ao jardim. Pensa nisso e diz qualquer coisa ;)

Beijocas

novembro 22, 2008 9:23 da manhã  
Blogger Carlota said...

Eu também tenho uns em Lisboa, Teófilo. Mas não tenho tempo para os ouvir...

Há séculos que não a ouves, Claudette. Muito bem tirada, essa!

Está bem, Carlos. Ainda não concretizei o sonho que tenho de conduzir um camião, pelo que será por duas boas causas: a tua economia doméstica e a arte. Nada mal.

Xi-cos.

novembro 22, 2008 11:41 da manhã  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home