segunda-feira, setembro 22, 2008

A Sinhôra Prifissora #4


A Sinhôra Prifissora não quer saber de parecer velha rabugenta e acha que a causa não está completamente perdida. Por isso lembra às pessoas em geral e a alguns blogoesféricos que até se têm em grande conta em particular que a palavra Estado, quando com ela se quer referir nação politicamente organizada por leis próprias ou conjunto de poderes políticos de uma nação, se escreve com inicial maiúscula. Não confundir com o estado lamentável a que chegou a escrita de alguns. É que se isto continua assim, não tarda nada portugal vai escrever-se assim.

9 Comments:

Blogger Beg said...

Concordo consigo, Sinhôra Prifissora.

setembro 22, 2008 10:03 da manhã  
Blogger jg said...

Talvez haja um pequeno pormenor que devas ter em atenção. Em rigor, quando escrevemos a palavra "estado" grafamos com minúscula intencionalmente. Por vergonha desta comum pelintrice a que chegou este canteiro à beira mar plantlado e/ou como forma de mostrar o nosso generalizado e público desprezo pela cambada de políticos que nos tem tentado governar.
Agora se nós fossemos uma potência Europeia ou até uma simples nação que integrasse a Comunidade Europeia, aí a coisa mudava de figura!

setembro 22, 2008 10:31 da manhã  
Blogger leonor said...

Pode ser com intenção mas algo me diz que tu sabes muito bem que, nos casos que te motivaram o post, é erro.
Eu, por exemplo, escrevo muitas vezes deus com minúscula e outras coisas mais, como presidente da república ou outras entidades... ;-)

PS. Viste que lindo, post em itálico? :-)

Beijoquinhas

setembro 22, 2008 10:41 da manhã  
Blogger Pitucha said...

Pois!
Beijos

setembro 22, 2008 11:01 da manhã  
Blogger Gi said...

E o k a Sinhôra Prifissora eskreve dice-se!
Assim está o estado do Estado!

setembro 22, 2008 12:20 da tarde  
Blogger Claudette Guevara said...

Depois de ler este post, ocorreu-me uma história recente que penso ter de partilhar.

Há uns tempos, ao verificar os trabalhos de casa da minha sobrinha que completou o 5º ano (ciclo) no Verão passado, reparei na quantidade enorme de erros existentes no caderno. Ora, se eu e as minhas irmãs, regra geral, desde o 3º ano que não dávamos erros, porque raio ela os dava a caminho do 6º ano?

"Investigamos" (para além dos puxões de orelha) e descobrimos que já há mais de 10 anos que na escola primária (pelo menos todas que conhecemos e temos acesso) não fazem ditados como modo de auto-aprendizagem. Poderão existir novos métodos modernos de ensino, mas é um facto: os meus sobrinhos que estão na escola, por muitos puxões dados em casa, não se "cansam" de dar erros. Para tristeza minha.

setembro 22, 2008 2:00 da tarde  
Blogger Sinapse said...

eheheheheheh!

eis-me de regresso!
já li os posts todos e tenho a dizer ... a menina veio inspiradíssima das férias!!!! :)

setembro 22, 2008 4:18 da tarde  
Blogger Carlota said...

Obrigada pelos vossos comentários.
E xi-cos a todos!

setembro 22, 2008 4:25 da tarde  
Blogger Skyman said...

Esta foi linda!

Sky

setembro 23, 2008 4:06 da tarde  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home