terça-feira, fevereiro 10, 2009

Dos quebra-cabeças


Quando era miúda, tinha um. Não me lembro exactamente que idade tinha na época dos cubos mágicos, mas creio que devia andar ali pela primeira metade dos teens.
Demasiada energia entre quatro castradoras paredes fizeram-me não descansar enquanto não descobri a fórmula para resolver o puzzle. Disso lembro-me. E também me lembro de que depois cronometrava o tempo que demorava a terminá-lo. E que o fiz e desfiz vezes sem conta.

No sábado passado, decidi comprar um e fiquei espantada comigo própria. Numa caixa guardada nos confins do meu cérebro, encontrei a fórmula para resolver dois terços (!) do puzzle. Comecei a girar o cubo e logo nas pontas dos dedos os jeitos e os movimentos há tanto tempo guardados mas, pelos vistos, não esquecidos.
O nosso cérebro é, também, um quebra-cabeças.

9 Comments:

Blogger Claudette Guevara said...

No outro dia os meus sobrinhos deram-me para a mão um para resolver. Pois sim... Incrivelmente resolvi um face.

fevereiro 10, 2009 2:14 da tarde  
Blogger armando s. sousa said...

É absolutamente verdade que "O nosso cérebro é um quebra-cabeças".
Também resolvia com uma certa facilidade o cubo de Rubik nos anos oitenta, mas há perto de trinta anos que não tentei outra vez.
Parece que agora a novidade é a esfera de Rubik.
Un abraço.

fevereiro 10, 2009 4:57 da tarde  
Blogger Periférico said...

Agora só falta te lembrares do outro 1/3! Força... Inspira-te;)

Beijos

fevereiro 10, 2009 7:16 da tarde  
Blogger Periférico said...

Este comentário foi removido pelo autor.

fevereiro 10, 2009 7:16 da tarde  
Blogger jg said...

Com que então existe uma fórmula para a resolução do bicharoco!!!
Ao que parece, mais bem guardada do que a fórmula da Coca-Cola.
Desisti, naquele tempo, de finalizar a tarefa porque só os marrões que não tinham habilidade para mais nada torciam constantemente o colorido do cubo. Exigia uma paciência e uma dedicação impróprias para aquelas idades.
Ainda por cima havia uns génios que iam à televisão e faziam o cubo em escassos segundos. Como não vislumbrava poder fazer melhor tempo, desisti.
Ganda nabo!!!

fevereiro 10, 2009 10:43 da tarde  
Blogger Xana said...

Eu até há bem pouco tempo ainda tinha o meu (será mais correcto dizer o cá de casa!). Isto até o meu filho lhe pôr as mãos em cima ... não sei bem se ele é como o obélix ou se foi por desespero de causa mas o que é facto é que todas as pecinhas coloridas ficaram separadas umas das outras ... de vez!!!!

fevereiro 10, 2009 11:44 da tarde  
Blogger Carlota said...

Estás a ver, Claudette?... É disso mesmo que falo!

Esfera de Rubik, Armando? Vou ter de investigar isso!

Aí não cheguei por mim própria, Periférico. Recorri ao Google.

JG, não acredito que não soubesses que EXISTE uma fórmula para resolver o puzzle. Um homem que faz etiquetas como tu deve saber que a Internet tem resposta para quase tudo!

Deixaste-o cair em que caldeirão quando era pequeno, Xana?

Xi-cos a todos.

fevereiro 11, 2009 4:06 da tarde  
Blogger jg said...

Por falar em etiquetas, ao tempo que estás a produzir sacas o outros acessórios, o assunto agora já é caso para passamanarias!!

fevereiro 11, 2009 4:36 da tarde  
Blogger Carlota said...

O que é que isso quer dizer, JG?

fevereiro 13, 2009 11:01 da manhã  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home