domingo, novembro 30, 2008

Como tirar um miúdo da frente da televisão numa tarde de um domingo chuvoso

Primeiro, é preciso ter à mão algum material:
Uma caixa de massa para cookies Maizena.
Uma tigela grande, um ovo e alguns corta-massas.

Chama-se o miúdo num tom alegre e deixa-se que ele ponha as mãos na massa.

Põe-se a massa dos cookies no forno, espera-se oito minutos... et voilà!

sexta-feira, novembro 28, 2008

Oui, chéri, c'est vendredi

Mais uma semana que passa. E este sentimento que me enche o peito de ar e me abre um sorriso para o fim-de-semana é deveras contagiante.

Este fim-de-semana, tal como o anterior, vai ser frio. Mas é pouco provável que volte a nevar.

Vou passá-lo a lamentar-me de que falta cada vez menos tempo para o Natal e este ano ainda não tenho prendas para quase ninguém. Pior do que isso: nem sequer ideias tenho. Procuro, procuro, e cá no fundo a única coisa que encontro é falta de vontade de ir calcorrear lojas e muitos motivos para ficar em casa, no quentinho.

Humphrey Bogart, Lauren Bacall e o filho Stephen

Faltam 27 dias para o Natal


Gostava imenso de ter esta cómoda. Infelizmente, não fica bem lá em casa.
À venda aqui.

quinta-feira, novembro 27, 2008

Gosto da Manuela. E depois?


Gosto da Manuela Ferreira Leite. Tive oportunidade de a conhecer há uns anos, quando trabalhei no Parlamento Europeu e, desde então, simpatizo com ela. Era uma senhora simpática, educada e sorridente. E acredito que continue a sê-lo na sua esfera privada.

Não acredito é que, por um segundo, esta senhora tenha ambicionado ocupar o lugar que hoje ocupa no PSD. Em vez disso, tenho a certeza de que se viu forçada a ocupá-lo, por piedade ou por politiquice. Mas admiro-a objectivamente pela coragem de ter aceitado o desafio e de ter trocado a sua pacata vida pela de líder do PSD, pela excessiva exposição pública e pela sujeição ao mais variado tipo de comentários, críticas e até ofensas.

Independentemente de não perceber nada de política e de querer a maior distância de todos esses assuntos que mantêm dois terços da blogosfera entretida, prefiro o discurso cru da Manuela Ferreira Leite às exposições floreadas de Sócrates; gosto mais da sincera ausência de sorriso nela do que do sorriso plastificado dele; e agrada-me mais o look antiquado da líder do PSD do que os fatos modernos e corte-de-cabelo estilizado do primeiro-ministro. Por um só motivo: aprecio a genuinidade.

Por isso apreciei o que disse Manuela Ferreira Leite acerca do casamento, generalizando que ele tem por objectivo a procriação, acerca das grandes obras públicas, sublinhando que servem para aumentar as taxas de emprego em Cabo Verde e na Ucrânia e, finalmente, acerca de suspender a democracia durante seis meses para pôr tudo na ordem. Tenho a certeza de que muitos políticos pensam exactamente o mesmo. Esquerda incluída.

quarta-feira, novembro 26, 2008

Faltam 29 dias para o Natal


Não param de inventar coisas boas para me encher a mala.

Apresento-vos o Bushnell Backtrack. É uma espécie de GPS personalizado que nos ajuda a voltar a encontrar o caminho de volta para, por exemplo, o lugar do parque de estacionamento onde deixámos o carro.

À venda aqui.

terça-feira, novembro 25, 2008

Erva


Os meus vizinhos devem ter recebido hoje o pacote mensal da sua sobremesa preferida. A música que vem do lado de lá da parede já se sobrepõe aos comentários do jogo de futebol da Liga dos Campeões.

Aquando do pacote de Julho, tentei telefonar-lhes à uma da manhã para pedir-lhes para baixarem o som. Nem sequer ouviram o telefone tocar...

Por alturas do pacote de Setembro, já eu tinha preparados os tampões para os ouvidos na mesa-de-cabeceira.

E ainda há quem diga que eu tenho mau feitio...

Faltam 30 dias para o Natal

Estes designers são gente muito atenta aos pormenores.


Tea bag coffin por Jonas Trampedach

segunda-feira, novembro 24, 2008

Não olhes agora, Angelina! (*)

Este é o Brad Pitt. Ou o que sobrou dele depois de produzido para o desempenho da personagem do seu mais recente filme - The Curious Case of Benjamin Button - que conta a história de um homem que nasce com 80 anos em 1918 e que rejuvenesce com o passar do tempo.
O filme estreia em finais de Dezembro nos Estados Unidos, mas já há rumores de que será um sério candidato aos Óscares em 2009.
Fotografia: Paramount Pictures
(*) Título alegremente subtraído ao Daily Mail.


Ao que isto chegou

Estava eu a olhar para onde queriam que eu olhasse (o que está dentro do círculo preto), quando de repente dei por mim a olhar para outro lado e a ver a outra coisa estranha deste ticket: pagar dois dólares e quinze com Visa?...

Faltam 31 dias para o Natal

Estou a pensar seriamente em pôr o shouting vase na minha wish-list para este Natal. Espero que tenham uma versão de bolso.

sábado, novembro 22, 2008

Sentada à espera

Aguardo o parecer da única especialista em velocípedes que conheço.
Como será andar de bicla na neve? Precisará de um handsfree cockpit umbrella?

Hoje, do lado de lá da janela

video

sexta-feira, novembro 21, 2008

Oui, chéri, c'est vendredi

E o raio da semana que nunca mais chegava ao fim!
Mas pronto, calma! Inspirar, expirar... São só mais umas horas e depois o fim-de-semana, cheio de vento, frio e neve. Como eu gosto.

Foto daqui.

Sou toda ouvidos


Já programei um alerta para as onze horas da manhã (hora de Portugal Continental) deste Domingo, 23 de Novembro, para ouvir a Leonor, que vai estar na Antena 1 à conversa com o Pedro Rolo Duarte.

A não perder!

O cúmulo do egoísmo


Faltam 34 dias para o Natal

Aposto que mesmo aqueles que já têm tudo ainda não têm este aquecedor de toalhas.
Estou com vontade de oferecer um trambolho destes a um dos já têm tudo que recusaram a minha proposta de não trocar prendas neste Natal.
Vende-se aqui.

quinta-feira, novembro 20, 2008

Cores e temas para o Gmail



Eu escolhi os Ninjas. E vocês?

Modas antigas



Há um programa na RFM que se chama Há séculos que não ouvia isto!, no qual as pessoas pedem para ouvir uma música daquelas antigas, que já não ouviam há imensos anos. Isto, na RFM, que é a rádio que parou no tempo e que passa a vida a passar músicas antigas é, obviamente, um paradoxo. Eles dizem que o Paulo Fragoso vai desenterrar a música que nós não ouvíamos há séculos, mas eu tenho a certeza de que os discos em questão estão mesmo ali à mão de semear e nunca sequer acumularam pó (*).

Não tem nada a ver, mas hoje ocorreu-me esta expressão do há séculos quando estava a atestar o depósito de gasolina do carro. Há séculos que não atestava a 1,08 euros!


(*) Eu estou a par de que eles já não usam discos, mas toda a gente sabe que é muito difícil os ficheiros electrónicos ganharem pó.

Faltam 35 dias para o Natal


Isto é mesmo uma daquelas coisas que eu considero um must-have: um daysago refrigerator timer.

É que tem uma utilidade que ultrapassa as fronteiras do frigorífico (ora vejam a fotografia em baixo).

À venda, em lotes de dois, aqui (apesar de neste momento estar esgotado).

quarta-feira, novembro 19, 2008

The Infinity Bookcase

Esta estante, que representa o poder infinito dos livros, é da autoria de um artista holandês chamado Job Koelewijn.


Acho que se pode dizer que tenho uma pequena obsessão por estantes de livros. Infelizmente, não é pela mania dos livros. É mesmo pela paranóia da arrumação

Faltam 36 dias para o Natal



Para virar o disco sem tirar ambas as mãos do volante.
À venda aqui.

terça-feira, novembro 18, 2008

Querem trabalhar na administração Obama?


É responder a um questionariozinho.

segunda-feira, novembro 17, 2008

À procura do verdadeiro espírito natalício


Já convenci duas pessoas da familia a não trocar prendas neste Natal.

A luta continua, mas os mais difíceis são os mais velhos. Só estou à espera que se venham cá queixar ah e tal, não sei o que hei-de comprar este ano... e zás!

sexta-feira, novembro 14, 2008

Oui, chéri, c'est vendredi


Mas eu hoje estou muuuito longe daqui.

Bom fim-de-semana!


N.A.: Post de publicação programada. Eta maravilhas da técnica!
Resposta aos comentários, só na segunda-feira.

quinta-feira, novembro 13, 2008

O abominável mundo hertziano (2)

(Continuação disto aqui).


Escusado será dizer que olhei fixamente para o simpático para ver se ele estava a gozar. Percebi que não e reclamei. Disse-lhe que nunca nenhuma outra empresa de aluguer tinha alguma vez tido a lata de pedir dinheiro pela lavagem do carro alugado e isso por uma razão por demais evidente: o preço da lavagem está incluído no preço do aluguer. Além disso, disse-lhe que o carro só tinha pó, que sairia com uma mangueirada de 2 euros...

O simpático tentou falar por telefone com o gorduroso a quem eu tinha entregue o carro, mas sem resultado. Suponho que ele estaria demasiado ocupado a enganar mais alguém. Posto isso, eu, que já estava atrasada, disse ao simpático que não assinava nada e que não pagava cá lavagem coisíssima nenhuma. Ele disse que teria isso em consideração.
Não posso dizer que fiquei verdadeiramente espantada quando, umas semanas depois o preço da lavagem apareceu na minha conta American Express. Acorri logo a contestá-la, tendo a cobrança sido suspendida.

A American Express fez o que lhe cabia fazer. Pediu satisfações à Hertz (cruzes, canhoto!). A uma funcionária hertziana (de cujo nome não me lembro agora, mas que tenciono escarrapachar aqui logo que tropece no fax que assinou) coube a tarefa de lhes responder no seu melhor inglês técnico. Explicou-lhes o que eu já sabia e teve a lata de acrescentar qualquer coisa do género fiquem cientes de que todos os clientes são avisados de que devem devolver os carros lavados. É uma grande mentira. Ninguém me avisou da brincadeira.

Posto isto, a American Express decidiu cobrar-me novamente os 48 euros. É óbvio que fiquei furiosa e corri até ao contrato que assinei com eles. Só me fez ficar pior. Se houver um conflito entre o cliente e a empresa que presta o serviço principal, esse conflito deve ser resolvido entre essas partes, mas o dinheirinho, esse, deve ser pago à empresa do cartão de crédito. O meu espírito de jurista sobrepõe-se à minha alma de consumidora: se eu tivesse redigido aquele contrato, tê-lo-ia feito assim.

Nada mais me restando fazer, agarrei no telefone e telefonei à American Express. Fui atendida por um senhor que teve a amabilidade de ouvir todas as minhas queixas e de concordar comigo, dando-me até a saber que era costume terem esse problema com a Hertz (cruzes, canhoto!). Disse-lhe que conhecia as cláusulas do contrato que tenho com eles e que não gastava mais o nosso tempo se, independentemente dos argumentos que pudesse esgrimir noutra reclamação escrita, eles acabassem por me cobrar aquela quantia para pagar à Hertz, não me defendendo de forma alguma enquanto cliente deles face aos abusos de terceiros. Mas que seria certo que, após tal pagamento, cortaria em pedaços os meus dois cartões American Express e devolver-lhos-ia pelo correio.

O senhor pediu-me um momento e eu fiquei à espera durante não mais de quatro minutos. Quando voltou, anunciou-me que dado que eu era uma boa cliente já há alguns anos (pronto, agora já sabem que eu sou rica), a American Express ia fazer-me uma atenção e cancelar a cobrança daquela quantia. Respondi-lhe que achava o gesto muito atencioso, mas que essa solução não era justa para com a Hertz, a quem eles acabariam por pagar os 48 euros.

Obviamente, aceitei o que me propuseram. E fiquei sensibilizada com a atenção que tiveram para comigo. É uma forma completamente diferente de tratamento do cliente que não faz parte da política da Hertz - Aluguer e Lavagem de Automóveis (cruzes, canhoto!).

quarta-feira, novembro 12, 2008

Faltam 43 dias para o Natal




Uma das prendas mais originais e mais sonhadas por quem é ou já foi criança.

terça-feira, novembro 11, 2008

Home Art (5)


Fotografia minha

sexta-feira, novembro 07, 2008

O abominável mundo hertziano


Não tenho carro em Portugal e por isso alugo um sempre que preciso. Sai mais barato do que ter um carro parado durante todo o ano.

A experiência ensinou-me, contudo, a não contratar directamente com as empresas de aluguer. Nem sequer através da Internet. Os preços pedidos são uma roubalheira descarada, sobretudo quando comparados com os preços obtidos através de intermediários como este. E estou a falar de pelo mesmo carro a mesma empresa pedir o dobro do preço pedido pelo intermediário, que, para além de pagar ter de pagar o aluguer que cede, ainda lucra com o negócio. Vá lá saber-se porque é que isto é assim!

Alugo carros há mais de seis anos e várias vezes por ano. Da última vez, através do citado intermediário, fui parar a uma empresa com a qual nunca tinha tido o desprazer de contactar: a Hertz (cruzes, canhoto!).

Os acontecimentos que seguidamente relato justificam o que fiquei a pensar dos hertzianos com quem tive o azar de me cruzar: uma cambada de incompetentes, abusadores e chicos-espertos!

Tudo começou quando se enganaram no carro que me reservaram. Eu tinha pedido um carro com porta-bagagens para três malas e eles apresentaram-me... um Opel Corsa. Tive de lhes esfregar com todos os papéis da reserva naquelas carinhas de imbecis, não sem antes ter ido incomodar alguém para que me desse acesso à Internet e a uma impressora, claro! Mas pronto, lá me deram um carro maior.

Para que não me restassem mais dúvidas acerca do calibre da Hertz (cruzes, canhoto!), aquando da entrega do carro no aeroporto, depois de uma espera enorme, o gordo e sebento funcionário, à má-fila, rabiscou as palavras 'lavagem exterior' no papel que me devolveu, sem me dar a menor satisfação. Só me apercebi do facto e das respectivas consequências quando me apresentei no desk da Hertz (cruzes, canhoto!), já dentro do aeroporto e um simpático me disse: Ups, vou ter de lhe cobrar a lavagem do carro. São 48 euros!


(continua)


Imagem



Faltam 48 dias para o Natal

A Ana, na caixa de comentários do post que antecede este, diz que veio cá à procura de sugestões para o Natal. Tenho de lhe agradecer por me ter lembrado disso. É que com tanta crise financeira, sacos de pano e obamanias, já nem me lembrava de que vem aí mais uma febre natalícia.

Já uma vez referi aqui um despertador mais eficiente do que os normais, que desata a fugir na hora de despertar, lembram-se?

Pois bem, hoje venho falar-vos de outro tipo de despertadores, como este e este que, apesar de ficarem quietinhos em cima da mesa-de-cabeceira, não se desligam por dá cá aquela palha. Exigem que estejamos com os olhos bem abertos para que se calem.

quinta-feira, novembro 06, 2008

Da defesa do riso em português


Fomentar a substituição do LOL pelo GG.
Grande(s) gargalhada(s).

Ou usar o ah, ah, ah!, mesmo.

quarta-feira, novembro 05, 2008

O que virá a seguir?

A vitória de Obama, vivo-a como um momento revivalista. Lembra-me quando, há coisa de três anos, via os episódios da primeira série do 24, onde o presidente norte-americano é negro.

É sempre engraçado ver acontecer coisas que antes só eram possíveis em mera ficção. Os telemóveis, por exemplo, lembram-me invariavelmente os inter-comunicadores do Espaço 1999.

E tenho um desejo secreto de que, nestas coisas de dreams come true, se siga o tele-transporte.

terça-feira, novembro 04, 2008

Prefiro ficar a olhar para a parede


A resposta é não, não vou cá nada para a varanda. Mas que seca!

Fotografia daqui

Dia de eleições nos EUA

Fotografia minha

Desejos

Nem morangos, nem chocolate.
Desejos de voltar a ver as sete seasons completas da melhor série de todos os tempos. O Jed Bartlett foi um dos melhores presidentes que os Estados Unidos já tiveram.

segunda-feira, novembro 03, 2008

Coisas que fazem sentido

Agora, que já não é permitido fumar em lugares públicos fechados, há muito mais pessoas a fumar nas ruas.
Está na altura de dar o passo seguinte.

Smartstreets-Smartbin


Via Patti.

Sarkozy como o paradigma dos franceses



Este video fez-me perceber que o Contra-Informação já não passa na RTP.
Apesar de não ter legendas, aqui fica um bom momento Guignols (que é o nome do programa em França).

Como adquirir anos de vida


Os estudos em questão não deixam de fazer parte da minha colecção de coisas irritantes, mas desta vez até os desculpo, por terem servido de inspiração para um post que me fez rir. E parece que rir também dá anos de vida. Diz que.